A embalagem asséptica deve ser realizada com atenção especial e com o objetivo de eliminar a contaminação microbiológica e de partículas dentro da solução. O pessoal é a maior fonte de contaminação num ambiente asséptico de produção, pois gera pó humano. É preciso prestar muita atenção, sobretudo próximo de um recipiente aberto durante o enchimento, para manter baixos os níveis de contaminação.

A Técnica BFS (Blow-Fill-Seal): Foi desenvolvida para que a moldagem, o enchimento e a selagem dos recipientes sejam efetuadas numa única máquina em um ambiente controlado que facilita a embalagem dos líquidos farmacêuticos em asséptico, com as vantagens a seguir:
menor necessidade de espaço.
• menor necessidade de pessoal.
• menos requisitos na sala branca.
• maior proteção do produto contra a contaminação.
• menos problemas na compra e na conservação dos recipientes vazios.

1
2
3
4
5

As figuras 1 – 5 ilustram as fases principais na embalagem das soluções parenterais, com a utilização do sistema SYFPAC®.

SYFPAC® é o acrônimo de “System for Filling Parenterals Aseptically into Containers of plastic materials” ou seja, o Sistema Asséptico para Encher Parenterais em Recipientes de matérias plásticas. Este sistema foi estudado especificamente de modo especial para as necessidades de embalagem de fluidos parenterais e injetáveis. O sistema SYFPAC® utiliza o processo BFS, e foi criado para aplicações criativas de fantasia, projeção de engenharia e através do conhecimento de materiais e técnicas avançadas. SYFPAC® é projetado para funcionar de maneira confiável e exata durante a sua longa vida. A sua construção simples e robusta não exige muita manutenção.